Plataforma Doras

A Plataforma DORAS, idealizada e coordenada por Luísa Bahia surgiu do seu desejo de encontrar com outras mulheres artistas, intercambiar visões de mundo, procedimentos de criação e instigá-las a uma expressão livre dando forma aos seus discursos urgentes e aos incômodos sofridos pelas mais diversas formas de opressão às quais a mulher está submetida. Em março de 2017 Luísa conduziu a primeira Oficina DORAS no Teatro Marília, partindo dos elementos de criação do espetáculo RISCO e da odisseia de Dora, personagem que quer ser livre, mas o comando central não deixa. Foram trabalhados os múltiplos sentidos da VOZ: movimento; som; palavra; escrita; cena e a própria manifestação da presença no mundo, em diálogo com os discursos urgentes de cada participante. As práticas abordaram exercícios essencialmente imagéticos e polifônicos e princípios como escuta, paixão, desnudar-se, estrangeirar-se, delírio e risco.

Desde então foram realizadas seis edições da Oficina DORAS, quatro em BH, uma em Congonhas/MG e outra em Palmas/TO. Além disso, foi realizado o Festival DORAS, em homenagem à vida de Marielle Franco, composto por um Café com intervenções artísticas, Roda de Conversa, uma Oficina para mulheres artistas e uma Vivência para mulheres de outras áreas. Ao todo já são mais de 80 participantes, de 19 a 63 anos, brancas, negras, pardas, quilombolas, cis, trans, de diferentes condições sócio econômicas, estudantes, trabalhadoras de dupla jornada, aposentadas, mães, avós e artistas de várias áreas. A Plataforma publicou também um artigo no Portal Primeiro Sinal e agora dá início ao processo criativo BRASA com 24 dessas participantes, com estreia para setembro, dentro do Festival de Cenas Curtas do Galpão Cine Horto.

Oficina – acesse [aqui] // Vídeos – acesse [aqui]

Projeto BRASA

Uma fogueira com 17 mulheres. Dançam suas paixões, cortam o ar com discursos urgentes, explodem em gozo, fundem-se num bando incandescente, cantam labaredas e se purificam pela chama ancestral. Elas encarnam a faísca que outrora as queimaria. Friccionam seus corpos como pedras, inventando fogo e um lugar onde seja possível ser livre, fazendo feitiço à beira da brasa, nessa terra chamada Brasil.

A cena BRASA é uma das ações da Plataforma DORAS, encontro para mulheres artistas, coordenado por Luísa Bahia. Ao todo são 24 mulheres criadoras, das quais 17 estão em cena apresentando uma composição formada por danças, cantos, ações, discursos falados e paisagens sonoras guiadas pela imagem do fogo. Além de intérprete cada uma assume outra função no projeto: direção de arte, iluminação, orientação e direção musical, orientação em dança flamenca, pesquisa teórica, dramatúrgica e produção. BRASA é uma proposta polifônica e imagética, política e poética, um incêndio, uma chama forte, coletiva, incandescente. Um movimento impetuoso de resistência, empoderamento, vida e liberdade!

FICHA TÉCNICA

Direção e dramaturgia: Luísa Bahia
Intérpretes: Alex Iunes, Ana Lima, Bárbara Veronez, Clara Garavello, Delba Menezes, Fernanda Navegando, Greyce Ornelas, Helena Carneiro, Júlia Bernardes, Kamilla Oliveira, Lara Gama, Luana Magalhães, Luísa Bahia, Priscylla Lobato, Sofia Rodrigues, Talita Vasconcelos, Vitoria Regina
Orientação em dança flamenca: Bárbara Veronez
Preparação vocal e cênica: Luísa Bahia
Assessoria musical: Nath Rodrigues
Pesquisa musical: Greyce Ornelas e Luísa Bahia
Direção de arte: Fernanda Navegando, Júlia Bernardes e Lara Gama
Iluminação: Flávia Mafra e Joana Bentes
Colaboradoras: Ana Paula Gonçalves, Marina Clara e Sara Marquezine
Coordenação de Produção: Larissa Scarpelli
Assistência de Produção: Alex Iunes e Kamilla Oliveira.

Deseja colaborar com esse projeto? Entre em contato!

Deixe uma resposta